Cuidado com o "estigma do peso"

em October 30, 2020

 

Muitas mulheres de maior peso, sentem vergonha dos seus corpos por serem maiores e a isso juntam a frustração das inúmeras tentativas fracassadas para os reduzir. No entanto, outras mulheres apesar dessa característica, não se sentem assim.

Elas entendem que uma combinação complexa e parcialmente aleatória de fatores, incluindo os seus esforços repetidos para perder peso por meio de dietas, contribuíram para que o seu tamanho fosse maior.

A diferença entre os dois grupos de mulheres é que um internaliza o estigma de peso e o outro não.

O estigma do peso é a perceção culturalmente induzida de que ter peso alto é mau e que uma pessoa é diferente e pior porque tem um peso maior.

O conceito de estigma de peso, é conhecido também como preconceito de peso, preconceito de gordura ou discriminação com base no peso.

Este é um julgamento negativo, um sentimento de vergonha ou estereotipagem com base no que a balança indica, no tamanho ou forma de uma pessoa.

Esse preconceito/insegurança pode ocorrer no namoro, saúde, educação, amizades, emprego e em qualquer aspeto da vida.

Mas podes ficar tranquila, porque esse julgamento não está enraizado na verdade. Esse julgamento vem apenas de uma coisa chamada percepção.

A maneira como a sociedade vê as coisas. Não há fatos envolvidos, apenas pontos de vista baseados em preconceitos baseados na ignorância.

Mesmo que pesos maiores não fossem saudáveis ​​(o que é verdade em alguns casos), isso não torna a pessoa que carrega o peso errada, ou pior.

Então, por que algumas pessoas com peso mais alto pensam que estão erradas?

A resposta está em outros fatores além do peso. Essas mulheres podem ter aprendido a odiar corpos gordos nas suas famílias.

Mães que estiveram sempre tentar reduzir os seus quilos através de dietas, ou o pais que faziam comentários depreciativos sobre o corpo da mães.

Talvez a vergonha tenha começado quando sofreram bullying e provocações na escola ou foram excluídos de amizades ou clubes porque os seus colegas caíram no estigma do peso.

Ou talvez até, tenham crescido em famílias onde sentiram que precisavam ser perfeitos em todos os sentidos.

O peso era uma métrica que deveria ser respeitada. A busca pela perfeição era o foco.

A necessidade de ser aceite, e de se integrarem em grupos, podem ter sido as causas pelas quais aprovação dos outros se sobrepõe a uma aprovação essencial e que deverá vir sempre em primeiro lugar. A aprovação de nós próprios.

Muitas pessoas pensam “Se for aceite, as pessoas vão gostar de mim, e eu vou ser feliz”.

 Quando na verdade é ao contrário, “Se eu me aceitar, e sentir confiante, vou atrair para mim as pessoas que gosto e que se identificam comigo”

O estigma percecionado de peso a mais advém da necessidade de querer viver de acordo com um padrão social (neste caso, baixo peso) para nos sentirmos aceitáveis e merecedoras para ingressarmos nesse grupo que tem regras e imposições.

Pessoas com peso alto precisam fazer um esforço forte, consciente e contínuo para não internalizar o que a sociedade pensa dos seus corpos.

Essa mudança para nos sentirmos bem com o nosso corpo, mesmo que ainda querendo-o mudar, significa questionar o que as pessoas pensam de nós próprias, reconhecer que a percepção delas não é a verdade e intencionalmente escolher não acreditar nisso.

Escolher não acreditar nas opiniões dos outros, escolher não permitir que comentários ou olhares depreciativos abalem a pessoa que somos. Quando nos recusamos a interiorizar o estigma do peso, nós tiramos o poder às pessoas que nos estão a tentar envergonhar.

 

Não fiques a matutar no que dizem ou pensam sobre ti. Sê como és, sê única e faz aquilo que te faz sentir bem contigo própria.

O melhor ainda está para vir… ❤️

DEIXE UM COMENTÁRIO

Os comentários devem ser aprovados antes de aparecer


DE VOLTA AO TOPO